Pesquisar
Close this search box.

A branquitude é um
lugar de privilégios
materiais e simbólicos.

News
Letter

assine gratuitamente nossa newslettter sobre branquitude

PRO
JETOS

Todos os projetos do Observatório da Branquitude se estruturam em três eixos: produção de conhecimento, articulação política e comunicação.

Quem são os anticotas?

O Observatório da Branquitude realizou um amplo levantamento e perfilamento de atores sociais e institucionais brasileiros contrários às cotas raciais. Olhar para grupos anticotas é encarar um espelho incapaz de reconhecer as relações de dominação que fundaram este país e o mantém preso a um passado que não passou. Os anticotas são antinegros. Abominam a ideia de desracializar espaços de poder e por isso devem estar sob constante escrutínio.

Branquitude e economia

As políticas econômicas e tributárias são centrais para o aprofundamento ou a redução das desigualdades raciais, no entanto, as mobilizações, lobbies e formulações dessas políticas são, em geral, protagonizadas por pessoas brancas representantes de grandes entes econômicos. O Observatório da Branquitude pretende examinar as desigualdades de gênero e raça a partir do debate da tributação, macroeconomia e política.

As políticas econômicas e tributárias são centrais para o aprofundamento ou a redução das desigualdades raciais, no entanto, as mobilizações, lobbies e formulações dessas políticas são, em geral, protagonizadas por pessoas brancas representantes de grandes entes econômicos. O Observatório da Branquitude planeja examinar as desigualdades de gênero e raça a partir do debate da tributação, macroeconomia e política.

Branquitude e economia

Branquitude e sistema de justiça

O Observatório da Branquitude visa compreender como se estruturam as relações no interior do sistema de justiça e de suas instituições, que engrossam estatísticas de desigualdades entre brancos e negros no acesso à justiça. A aplicação desigual de regras e de acesso a postos do judiciário serão temas de estudo preferenciais.

Revisão de literatura

Mapeamento e sistematização de estudos, pesquisas e publicações sobre branquitude no Brasil. O levantamento cruza dados sobre temporalidade, perfil das/dos autoras/es, áreas de concentração, entre outros dados que revelam o perfil das produções brasileiras no tema.

Mapeamos e sistematizamos estudos, pesquisas e publicações sobre branquitude no Brasil. O levantamento cruzou dados sobre temporalidade, perfil das/dos autoras/es, áreas de concentração, entre outros dados que revelaram o perfil das produções brasileiras no tema.

Revisão de literatura

Biblioteca Guerreiro Ramos

Biblioteca virtual com artigos, dissertações, teses e materiais sobre branquitude produzidos no Brasil. O acervo com mais de 250 publicações homenageia o sociólogo Alberto Guerreiro Ramos, pioneiro do tema no Brasil, fruto da revisão sistemática de literatura realizada pelo Observatório da Branquitude.

Quem
Somos

Somos uma iniciativa da sociedade civil fundada em 2022 e dedicada a produzir conhecimento e incidência estratégica com foco na branquitude, em suas estruturas de poder materiais e simbólicas, alicerces em que as desigualdades raciais se apoiam.

O Observatório da Branquitude produz e dissemina conhecimento, de maneira contínua e sistemática, para popularizar o debate sobre branquitude e suas consequências para as desigualdades raciais.

Branquitude é definida como o lugar de privilégios raciais simbólicos e materiais, que se construiu historicamente como o mais elevado da hierarquia racial, com o poder de classificar o outro, atribuir racialidade e subjetividade estigmatizante a quem considera não branco, sendo essa a pedra basilar do racismo.

Contando com uma equipe integralmente negra e multidisciplinar, nós somos a primeira organização da sociedade civil brasileira que tem centralidade temática na análise da identidade racial branca e suas estruturas de poder.

Equipe

VEJA QUEM CONSTRÓI
O OBSERVATÓRIO
DA BRANQUITUDE

PUBLI
CAÇÕES

Leia as publicações
do Observatório
da Branquitude

Galeria
januário
garcia

Januário Garcia foi um fotógrafo brasileiro com mais de meio século de produção dedicada a documentar a vida e a luta do povo negro. Com importantes trabalhos em publicidade, música e memória, Januário é um farol para jovens fotógrafos e fotógrafas. 

As fotos do site compõem a galeria Januário Garcia que é protagonizada pelo olhar da nova geração da fotografia e visa valorizar a beleza do olhar negro diante das representações desumanizantes geradas pela branquitude.

 

fotos por

Ana Luzes

Fotógrafa documental graduada no curso superior de fotografia pela Universidade de Vila Velha. Através de fotografias artísticas e documentais visa à ressignificação de histórias não contadas e não vistas. O olhar de Ana Luzes é uma afirmação de vida e da paixão de ser, diante da branquitude.


O portfólio da fotógrafa pode ser acessado aqui.

Apoia
dores